PORTUGALclusters - Um reforço para a Política de Inovação

06-03-2014 18:09

 

Teve lugar ontem, 5 de março, a apresentação da parceria "PORTUGALclusters", que agrega os Pólos de Competitividade e Clusters reconhecidos publicamente em 2009. Quase cinco anos depois, os clusters nacionais tomam a excelente iniciativa de congregar esforços e sinergias, materializando as articulações e colaborações formais e informais que se têm vindo a desenvolver entre as várias estruturas de gestão dos clusters e respetivos associados. Como componente importante da Política de Inovação, os clusters constituem instrumentos fundamentais de criação de valor ao longo das cadeias de produção - quer nacionais quer internacionais - de desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços, de valorização do conhecimento técnico e científico - produzido pelo sistema científico e tecnológico nacional - e de internacionalização. A política de clusters é também assumida, pela Comissão Europeia (nomeadamente nos programas Horizon 2020 e COSME 2014-2020, e na estratégia Europe 2020) como fundamental para uma Europa mais competitiva, baseada na inovação e no conhecimento. 

É neste sentido que se saúda a visão que substancia esta parceria, que, segundo os subscritores,  pretende "congregar os clusters Portugueses em rede para explorar sinergias e articular áreas de projetos de interesse comum que resultem numa potenciação do espaço de inovação e competitividade das entidades das diferentes cadeias de valor", bem como, "coordenar as atividades de interesse estratégico comum e contribuir para o esforço para o desenvolvimento económico nacional, reportando periodicamente esforços desenvolvidos e os resultados alcançados".

Esta iniciativa surge cerca de um ano após a avaliação independente feita ao programa de Pólos de Competitividade e Clusters, que evidenciou a importância dos mesmos para a competitividade nacional (baseada na inovação), mas também a necessidade de reforçar os seus mecanismos de gestão, o modelo de financiamento, bem como uma melhor articulação e apoio por parte das entidades públicas mais relevantes no processo de inovação e competitividade empresarial. 

Espera-se, assim, que a PORTUGALclusters impulsione o inicio de um ciclo reforçado da política de clusters em Portugal, numa visão ambiciosa e de longo-prazo, que tire o melhor partido das oportunidades decorrentes dos vários instrumentos públicos e privados (nacionais e comunitários) disponíveis até 2020.

 

A consultar: 

  • PORTUGALclusters (www.portugalclusters.pt)  
  • Relatório de Avaliação dos Polos e Clusters: http://www.pofc.qren.pt/media/noticias/entity/relatorio-final-da-avaliacao-da-estrategia-e-do-processo-de-implementacao-das-eec-tipologia-clusters